O “pior do pior”de Guantánamo.

O presidente Obama vem tentando fechar Guantánamo e trazer os detentos para serem processados nos EUA.

Mas, os congressistas do partido Republicano gritam “xô Satanás” , não queremos esta gente no país porque são perigosíssimos, o “pior do pior” da prisão.

E assim conseguiram bloquear até agora a iniciativa do presidente americano.

O jornal inglês The Guardian resolveu verificar se os republicanos tem razão, analisando a lista oficial de capturas militares.

O que ele descobriu está na edição de 25 de agosto do Guardian.

Dê uma olhada nas conclusões principais.

Dos 116 detentos, apenas três foram presos pelas forças americanas.

Entre  os detidos nos primeiros anos da guerra, 68 foram trazidos pelas forças de segurança do Paquistão,  cuja credibilidade é duvidosa, e 30 por “senhores da guerra”- chefões provinciais com exércitos particulares, sendo que vários foram ou são envolvidos no tráfico de  ópio. Pelo menos sete deste último grupo vieram de forças de Abdul Rashiod Dostum, que tem em sua folha corrida a morte de centenas de prisioneiros, sufocados no interior de um container.

Cerca de 17 das capturas paquistanesas devem-se ao seu serviço de inteligência, notoriamente patrocinador dos talibãs afegãos. Há  suspeitas de que esse pessoal ajudou a abrigar o próprio Bin Laden e fez de conta que não conhecia seu esconderijo.

Mais de 60 prisioneiros capturados por espiões, agentes e outros funcionários paquistaneses e afegãos vieram da região de Tora Bora, onde aconteceu uma dura batalha entre tropas da OTAN e do Talibã. De acordo com relatório do Senado, de 2009, as forças especiais  americanas ofereciam aos habitantes  locais entre mil e 15 mil dólares para cada árabe capturado nas vizinhanças da fronteira Paquistão-Afeganistão.

Possivelmente  boa parte desses pseudo- terroristas eram inocentes, acusados por seus delatores por óbvias razões financeiras. Com balas chovendo de todo o lado, os americanos não tinham muita disposição para investigar cada detento.

Como informou o coronel-aviador Morris Avis, os oficiais dos EUA não podiam garantir que 70% dos presos estavam corretamente identificados.

Não dá para dizer que todos os 116 de Guantánamo são inocentes. Mas os motivos da prisão da maioria deles são prá lá de questionáveis.

“Pior do pior”é uma acusação extremamente leviana, sem qualquer base.

Faltando outros argumentos, os republicanos deveriam aceitar o fechamento de Guantánamo.

E deixar que os detentos sejam trazidos para os EUA e ali processados.

Afinal, todo homem tem direito a um julgamento justo.

Há mais de 900 anos, quando o rei João Sem Terra promulgou a Magna Carta, esse princípio é aceito em todas as nações civilizadas.

.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *