A morte de uma utopia.

Nos anos de Fulgênzio Batista, Havana era uma festa só. Iluminada por uma sucessão de gloriosos cabarés, luxuosos casinos, hotéis e boites, a noite continuava pela manhã seguinte, naquele refúgio de magnatas, artistas de Hollywood e turistas americanos, atraídos por um paraíso onde tudo era tão fácil quanto suas 12 mil prostitutas. E ainda ficava logo ali, há poucas horas da Flórida.

Continuar lendo

Irã: deputado reformista enfrenta Judiciário conservador.

No começo de novembro, o deputado reformista iraniano Mohamoud Sadeghi ousou questionar o Ministério da Justiça sobre 63 contas bancárias suspeitas do presidente do Judiciário, o aiatolá Sadeq Larijani. Havia indícios de que estas contas estavam recheadas com grossas quantias de origem ilegítima.

Continuar lendo