Um socialista presidente dos EUA?

Bem, o candidato Bernie Sanders se diz socialista mas não é exatamente isso.

Não prega a socialização dos meios de produção, nem mesmo a estatização de algum setor industrial ou ainda de uma única empresa.

Mas, sem dúvida, situa-se na esquerda do Partido Democrata.

Na sua longa carreira como senador e prefeito de Burlington, estado de Vermont, ele tomou posições como a condenação das guerras do Vietnam e do Iraque e do apoio americano a ditaduras na América Latina.

Agora, ele se apresenta como candidato em favor dos 99% da população contra o que ele chama de “grotesca e obscena” concentração de riqueza dos EUA.

Defende um avanço no MEDICARE do presidente Obama, através de um sistema de Saúde gratuita para toda a população americana, tomando por modelo o sistema do Canadá.

Quer aumentar o salário mínimo e os impostos sobre os salários mais altos para aumentar os benefícios prestados aos aposentados.

Entre outras medidas do seu programa estão: educação para todos; combate ao racismo nos empregos e na educação; evitar guerras; estabilidade econômica para a classe média e proteção ambiental.

Mais do que tudo:  cortar as azas de Wall Street para impedir sua influência na política nacional e evitar que cause novas crises econômicas.

Não são idéias típicas de um candidato marxista.

Com elas, Sanders conseguiu 1,5 milhão de dólares num espaço de 24 horas após  anunciar sua candidatura.

E em dois meses, 250 mil doadores enviaram 15 milhões de dólares para sua campanha.

É muito.

Para dar uma idéia, foi também em dois meses que Obama atraiu 180 mil doadores na primeira de suas campanhas para presidente , nessa época um recorde na histórico.

Apontado como um azarão na corrida para obter a nomeação como postulante a presidência pelo Partido Democrata, Bernie Sanders já vem apresentando alguns resultados favoráveis.

Na pesquisa da universidade de Quinnipiac, sobre o primeiro caucus (escolha do candidato a presidente) democrata,  no estado de Iowa, ele está 19% à frente da favorita Hillary Clinton.

Em New Hampshire , a diferença em favor de Hillary caiu de 38% para apenas 8%.

A sra.Clinton ainda tem uma larga dianteira em termos nacionais, nada menos do que 41% acima de Bernie Sanders (pesquisa CNN).

É a favorita disparado.

No entanto, Sanders começa a ameaçar.

Se antes sua vitória era tida como  impossível, hoje já é vista como  apenas improvável.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *