Sanções também matam.

A Quarta Convenção de Genebra declara as punições coletivas crimes de guerra.

Seu art. 33 diz o seguinte: “Nenhuma pessoa pode ser punida por um ato que ela não cometeu pessoalmente. As punições coletivas e igualmente todas as medidas de intimidação ou terrorismo são proibidas.”

Esse crime está sendo cometido pelos EUA e a Europa Unida, cujas sanções contra o Irã impedem que o país importe os medicamentos necessários aos doentes em estado grave.

São centenas de milhares de pessoas que estão com sua vida ameaçada pela falta de medicamentos essenciais, como drogas quimioterápicas, para tratamento de câncer, e agentes de controle da coagulação do sangue, para hemofílicos.

Tentando evitar isso, o Departamento do Tesouro americano tem informado aos bancos que não serão punidos por financiarem vendas humanitárias.

Mas a proibição de negócios com as instituições financeiras iranianas torna essas transações extremamente complicadas e as companhias ocidentais preferem negar-se para fugir a possíveis problemas.

Uma autoridade inglesa de alto nível reconheceu que as discussões entre os países europeus e os EUA, com o objetivo de desbloquear a exportação de medicamentos para o Irã, não chegaram a nenhum resultado concreto.

“O problema é que para alguns dos principais bancos e companhias farmacêuticas” declarou, “ não vale à pena os aborrecimentos e riscos de prejuízos à imagem, portanto preferem ficar de fora (não negociar com o Irã).”

Naser Naghdi, diretor geral da  Darou Pakhsh, a maior companhia farmacêutica iraniana, declarou ao The Guardian que ele não pode mais importar equipamentos médicos como autoclaves, necessários para a produção de muitos medicamentos.

Comentando a situação, acusou: “O Ocidente mente quando diz que não impõe sanções sobre nosso setor médico. Muitas firmas farmacêuticas estrangeiras já nos sancionaram.”

O resultado está sendo trágico, conforme Naghdi :”Há pacientes para quem um medicamento é a diferença entre vida e morte. O que o mundo diz disso? Os ingleses, alemães e franceses estão pensando no que eles estão fazendo? Se você tem câncer e você não encontra a droga quimioterápica adequada, sua morte chegará logo. É simples assim.”

Não acredito que os governos ocidentais estejam utilizando o bloqueio de drogas como forma de pressionar o povo iraniano contra seu governo, para que atenda às exigências de interrupção do enriquecimento do urânio.

 

Mas está muito claro seu pouco interesse diante da tragédia que começa a desenhar-se, atingindo as centenas de milhares de pacientes iranianos, carentes dos remédios essenciais.

 

Não dá para admitir que seja impossível adotar uma norma que definitivamente assegure a exportação de remédios para o Irã, sem dores de cabeça para as empresas envolvidas.

 

Na verdade, estamos diante de um caso de punição coletiva.

Segundo a Quarta Convenção de Genebra, os governos do Ocidente estão cometendo um crime de guerra.

Tudo por causa de um programa nuclear militar iraniano, que 16 agências de inteligência americanas afirmaram não existir.

 

 

 

 

.

.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *