Os IEDs, mais um fantasma para assustar os americanos.

Os IEDs são bombas improvisadas “homemade”, que explodem por contato ou controle remoto.

Por sua simplicidade e baixo custo são muito usadas até mesmo como minas pelos talibãs, na Guerra do Afeganistão.

“A proliferação global dos IEDs e a tecnologia associada continuam a ameaçar os interesses dos EUA no país e no exterior.”

São palavras do Tenente-General  Michael Barbero, chefe da “Organização de Defesa contra os Artefatos Explosivos Improvisados “, durante uma audiência pública no Congresso.

É uma advertência surpreendente uma vez que, fora do Iraque e do Afeganistão, os IEDs jamais foram usados. E mesmo nesses países nem um único civil americano foi vítima dessas bombas domésticas.

Mas Barbero insistiu: “A ameaça é real.”

Não exatamente, considerando que, conforme o National Counterterrorism Center, em 2011, entre os 10 mil atos de terrorismo de todos os tipos que aconteceram no ano, nenhum foi nos EUA.

Anunciar ameaças terroristas inexistentes é uma forma de manter o povo americano assustado, disposto a aceitar o sacrifício de suas liberdades em benefício da segurança.

Foi criando esse clima que se conseguiu aprovar, sem protestos populares, leis que violam a Constituição, como as que permitem ao presidente mandar prender, sem julgamento e por tempo indefinido, quem considerar uma ameaça à segurança nacional.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *