O Iraque e as armas químicas da Síria.

O Presidente Barack Obama usou seu tom mais sério para anunciar que provavelmente o governo sírio andava lançando bombas químicas.

Esclareceu que as informações “com variados graus de confidencialidade” vinham de serviços de inteligência.

Logo o primeiro ministro Cameron, do Reino Unido, disciplinadamente, uniu sua voz à dele.

E um obscuro ministro israelense, Amir Peretz, foi além: reclamou a imediata intervenção americana, talvez fornecendo armas aos rebeldes.

Obama não chegou a concordar, mas declarou que, sendo verdade, as “regras do jogo” mudavam e Tio Sam poderia apelar para a ignorância.

E quais eram os serviços de inteligência que tinham apresentado provas, ainda que “em variados graus de confidencialidade”, do brutal e criminoso uso de armas químicas pelo bad guy Assad?

A CIA, o MI6 (inteligência inglesa) e a espionagem israelense.

Exatamente os mesmos responsáveis pela apresentação de provas, na ocasião ditas insofismáveis, de quer Saddam Hussein, aquele outro bad guy, possuía armas químicas e nucleares.

Como se sabe, foi baseado nessas provas que os EUA, sempre acolitado pelo Reino Unido, invadiu e arrasou o Iraque.

Como se sabe, também, por mais que americanos e ingleses procurassem, não descobriram nem cheiro de armas nucleares ou químicas.

Em compensação, aquela guerra injusta causou a morte de centenas de milhares de iraquianos, entre outras desgraças.

Embora as fontes em que Obama e aliados se basearam para acusar Assad tenham errado miseravelmente em situação análoga, não vou dizer, por isso, que necessariamente teriam errado também no caso da Síria.

Quem diz é o cientista sueco Sellstron, chefe da Comissão de inquérito de armas químicas na Síria, e investigadores da Organização pela Proibição de Armas Químicas, ambas da ONU.

Segundo um diplomata ocidental, agentes secretos ingleses mostraram a Sellstron o que qualificaram como “evidências limitadas mas crescentes” do uso de armas químicas pelo exército de Assad. O cientista sueco as considerou “inconclusivas”. James Bond saiu humilhado.

Por sua vez, americanos e israelenses dos respectivos serviços de inteligência vieram com fotos, vestígios tóxicos e estilhaços de bombas, apoiando suas acusações.

Não foram bem recebidas.

Para os investigadores da Organização pela Proibição de Armas Químicas não atendiam aos padrões de provas exigidos pela ONU.

Talvez por isso Obama baixou a voz e pediu uma investigação formal da ONU na Síria, em todos os locais onde se acusou o lançamento de bombas químicas.

Assad já havia solicitado algo assim, porém somente em Khan-Al-Assad, onde haveria vítimas das armas proibidas lançadas pelos rebeldes, que poderiam ser examinadas à vontade por investigadores da ONU.

Quando Ban-Ki-Mon decidiu atendê-lo, extrapolou o pedido para que toda a Síria fosse objeto de investigação.

Aí, Assad protestou.

Acreditava que a decisão do secretário geral da ONU resultara de pressão dos adversários para que a comissão se perdesse tendo de verificar mil denúncias sem base.

Para Assad, Ban-Ki-Mon, ao topar esta jogada, estaria demonstrando más intenções.

Deve ter se tranquilizado depois da rejeição pelos experts da ONU das provas precárias apresentadas pelos OO7 do Ocidente contra ele.

 

 

1 pensou em “O Iraque e as armas químicas da Síria.

  1. Mais uma vêz a mesma história da calochinha. O mesmo enredo, a mesma barbárie ou genocídio já próximose anunciados. Acreditar nesses mentirosos ou terroristas, que inflam suas economias e o lucro de seus bancos toda vêz que armam uma guerra e em seguida loteam a reconstrução do país destruido, exterminando pessoas talvêz por as considerem sub-raça, em virtude de seus costumes e suas organização social, política e religiosa e que não são as mesmas ou não parecem com as que são modêlo no ocidente) . Coisa curiosa, se um estado é a favor da tomada do poder em um determinado país pelos rebeldes, apoia e financia estes rebeldes.porque este mesmo estado venderia ou autorizaria a venda de gas químico justamente para o adversário. Será que esta estória foi uma bandeira mau plantada? será que os agentes das inteligencias destes paises se tornaram agentes da burrice? ou o mundo e as pessoas estão menos crente nesses terroristas, depois pro exemplo da espionagem que andaram praticando? ou nossa sociedade está menos manipulada e burra. Será que a síria também pertence ao programa eixo do mal? o que deve eles terem de riqueza e reservas em seus sub solos, para serem roubadas e apropriadas por empresas e pelos países invasores que se dizem amigos e libertadores? Fica difícil de acreditar que alguém possa ter sã consciencia, num mundo em que tudo está a favor da guerra, a industria de games ensinam as crianças a matar aos 3 anos de idade, o cinema pró guerra , a musica com artistas vestidos de fardas militares, a moda lançando coleção militar para civis. Todos sendo incrivelmente manipulados. Para estes rebanhos autorizarem seus governos a matar centenas de milhões de pessoas indefesas em todo o mundo. E Quando estas cenas de violências acontecem e são praticadas se tornam banais. Uma aceitação e concordãncia resultados dalavagem cerebral coletiva que sofrem de seus paises. Acho que a conotação paises desenvolvidos, deveria ser entendida ou compreendida, como desenvolvidos para a guerra, para a matança e para o extermínio. Implantam a violência no mundo, tornaram as pessoas cada vêz mais violentas alimentadas por uma industria chamada bélica. Coisa curiosa. Não é de se espantar, que principalmente os europeus, pareçam nunca ter esquecido a ideia da existência das colônias, ou da colonização que deve a qualquer custo perpetuar. Dos seus ideais de nação, até hoje serem alimentados por uma escola de pensamento que já predomina no mundo ha milênios, tendo em seus discurso, de que o oriente não tem nada que presta além de suas ricas reservas .
    Estados unidos e europa será que são o verdadeiro eixo do mal? Porque que após a declaração de que um deles tenham vendido e autorizado o envio de gás químico para o país em questão, possa por este delito também sofrer uma intervenção da onu. Quais são e onde estão as leis que dizem que um paísque é considerado responsável ou sóbrio possa fabricar e comercializar armas químicas, e quê um país que considerado país de risco ou despreparado não deve ter o mesmo benefício. Qual o criterio que a onu usa. Quem controla isso, como foi criada esta classificação? Porque as ações do uso de armas químicas e até nucleares praticadas pelos estados unidos e reveladas pela imprensa mundial como na guerra do vietinã com uso de agente laranja e de bombas nuclerares em hiroshima e nagazak, não são debatidas ou lembradas? Qual é a análise ou diagnóstico que provam que existe super poderes e controle imbutidos nos cérebros dos humanos que residem na europa e estados unidos. parece que a ideia de sobreviver de royaltes das suas patentes, não deve estar agradando muito ou pode estar sendo pouco lucrativa para estes países. restando então uma única saida. que possa gerar renda para manter seus altos gastos e déficits, suas pompas e suas populações cada vêz mais gorda, sedentária e comilona, seja mesmo saquiar o próximo território vizinho. Usam do discurso que são protetores, salvadores e amigos. Ao passo que todo já sabe que nunca o foram. Uma vêz que suas riquezas e territórios com base em registros históricos, sempre foram produtos de roubos e saques a outras nações militarmente frageis. Mesmo que isso tenha custado a vida de milhões. Acho que não possuem moral de país, para sequer cuidarem de sua própria casa. E me pergunto quem são os verdadeiros terroristas? E o que é ou significa a ideia do terror?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *