Governo muçulmano quer igualdade para mulheres.

A Primavera Árabe mudou muita coisa, até mesmo os próprios muçulmanos.

No passado, a Irmandade Muçulmana sustentava que lugar de mulher era no lar. Elas deveriam ter na sociedade um papel secundário.

Mas veja o que declarou um dos membros desse grupo, Morsi, semanas antes de ser anunciado Presidente do Egito.

“O papel das mulheres na sociedade egípcia é claro. Os direitos das mulheres são iguais aos dos homens. Mulheres devem ter direitos completos, exatamente como os dos homens.”

Apesar disso temia-se que, vencendo Morsi, seria implantada uma república islâmica, tipo Irã, onde a situação feminina não é das melhores.

Por sua vez, os cristãos coptas votaram em sua maioria no general Shaliq, pois acreditavam que um presidente da Irmandade daria mais direitos aos islamitas, tratando mal as outras religiões.

Depois de empossado, Morsi deu uma resposta a estes receios.

Seu porta voz anunciou que para as duas vice-presidências do país seriam nomeados uma mulher e um cristão copta.

Nunca na história do Egito uma mulher ou um cristão copta ocuparam posições tão altas.

É,  já não se fazem muçulmanos egípcios como antigamente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *