Custos humanos: o saldo dramático das guerras americanas

Até outubro deste ano, havia 6.300 soldados mortos e mais de 100 mil feridos nas guerras do Iraque e do Afeganistão. É apenas uma parte do custo humano que o povo americano está pagando pelas guerras do governo Bush.

Relatório do Veterans for Common Service, organização dedicada à defesa dos interesses dos veteranos de guerra, revelou que quase 20% dos soldados que lutaram no Iraque e no Afeganistão voltaram sofrendo de doenças mentais. Como cerca de 2 milhões foi o total de soldados que já passou pelas duas guerras, essa porcentagem representa  cerca de 400 mil. São mais da metade dos 712 mil veteranos que procuraram atendimento médico depois de desmobilizados. Calcula-se que quase um terço deles sofre de estresse pós traumático, uma das mais frequentes doenças mentais originadas por conflitos armados.
O senador Paul Murray, presidente do Comitê senatorial de Assuntos dos Veteranos, declara-se preocupado pois : ”Um grande número de homens e mulheres que serviram no exterior sofreram impactos que causaram problemas mentais.Mais e mais continuam chegando. E nós não estamos preparados (para atendê-los).“ Conforme os profissionais da área informaram, não existem recursos suficientes.
De acordo com Paul Sullivan, diretor executivo do Veterans for Common Service, em 2003 o governo esperava que fosse necessário oferecer assistência médico-psicológica a cerca de 50 mil novos pacientes vindos de ambas as guerras. Com 750 mil veteranos do Iraque e do Afeganistão já precisando ser atendidos, esse cálculo provou-se ridículo.
 E o problema ainda vai se agravar, prevê Sullivan, pois: “Mais de 1 milhão de pacientes das duas guerras virão buscar tratamento por volta do final de 2013.”
Entre os custos humanos das duas guerras, falta falar dos suicídios. Atualmente são em grande número – fala-se em até 18 por dia. Em 2009, houve mais soldados suicidas do que mortos em combate. Deve-se principalmente às tensões provocadas pelos múltiplos reengajamentos de soldados de diversas unidades. Quase 1 milhão de soldados – 42% de todas as tropas envolvidas em combate – já foram reengajados pelo menos duas vezes.
O Departamento de Assuntos de Veteranos de Guerra revelou mais um número desolador. No ano de 2009, havia 106.558 veteranos sem teto, sendo que outro tanto já havia dormido ao relento pelo menos algumas vezes durante o ano. É certo que boa parte deles eram egressos da Guerra do Vietnam, mas muitos lutaram no Iraque e no Afeganistão. Estima-se que a maioria seja portadora de neuroses de guerra ou outros problemas de saúde mental não tratados.
É este o preço que está sendo pago pelo povo americano em vidas seriamente lesadas ou destruídas por guerras injustas e inúteis. Provocadas sob pretextos falsos para satisfazer a uma mescla de interesses econômicos e fantasias imperiais. E que resultaram em nada de bom para o país. Pelo contrário, só jogaram ainda mais para baixo a imagem americana no Oriente Médio e no mundo.
Enquanto isso, por incrível que pareça, há indícios de que George Bush consegue dormir bem à noite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *