Avança processo contra Israel no tribunal internacional.

Os palestinos deram mais um passo para colocar os  líderes israelenses nos bancos dos réus do Tribunal Criminal Internacional (ICC).

Na reunião dos 122 membros do ICC, eles pediram e conseguiram que a Palestina fosse aceita como membro observador.

É o mesmo status dos demais países – como EUA e Rússia- que não assinaram o Estatuto de Roma, não sendo, portanto, membros-plenos.

A Palestina ganhará essa posição assim que assinar sua adesão.

Isso significa que poderá solicitar uma investigação do procurador-chefe do ICC sobre as atrocidades cometidas pelo exército de Israel na guerra de Gaza e as violações das leis internacionais através dos assentamentos, das demolições de casas de famílias de terroristas, leis racistas e outras diabruras do governo Netanyahu.

Provavelmente uma investigação assim  concluirá pela culpa dos réus, com conseqüências internacionais imponderáveis.

Desde, é claro, que seja uma investigação honesta e competente.

Os EUA podem melar o jogo para evitar a derrota do governo de Telaviv.

Para não serem obrigados a uma ação desse tipo, que mancharia ainda mais sua imagem, vão fazer de tudo.

É possível esperar pressões para que, tanto Netanyahu quanto Mahomud Abbas, moderem suas exigências em futuras negociações de paz entre Israel e palestinos.

Nenhum deles pretende ceder muito.

Obama acabará tendo de pender mais para um dos lados.

Adivinha para qual?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *