Americanos cada vez mais anti-guerras.

Os políticos americanos vão ter de conviver com uma nova realidade: seu povo está ficando hostil a guerras.

É o que mostra pesquisa Pew Research/USA Today.

As opiniões sobre a guerra do Iraque mudaram em 3 anos.

Enquanto que em 2011, na retirada das tropas, para a maioria, 56% x 33%, , o país atingira seus objetivos, agora a coisa virou: 52% x 37% acham que deu errado.

A análise da guerra do Afeganistão foi semelhante.

Em 2011, na euforia da morte de Bin Laden, a maioria dos americanos acreditava que guerra iria acabar bem. Não vai não, foi a opinião dominante – 52% x 38%- na pesquisa de 2013.

51%x 41% ainda dizem que foi correto atacar o Afeganistão, que se tornara um refúgio seguro para a al-Qaeda preparar seus atentados no exterior.

A opinião geral está mudando pois em 2006, muito mais gente pensava assim: 66%.

Quanto à guerra do Iraque, em si, o apoio da população desabou.

No ano da invasão, 75% dos americanos aplaudiram entusiasmados, acreditando na versão (provadamente falsa) de que Saddam Hussein tinha um programa militar nuclear.

Neste ano, a condenação do ataque venceu por 50% x 38%.

Obama não foi ouvido na pesquisa, mas todos conhecem sua opinião, manifestada até recentemente: a guerra foi errada mas é inegável que o Iraque agora está melhor do que antes.

Ele devia estar de brincadeira.

Com atentados diários, que já mataram mais de 7 mil pessoas, o Iraque está perto de uma guerra civil entre xiitas e sunitas, que antes da invasão americana viviam em paz.

Os resultados da nova pesquisa Pew/USA Today confirmam o desencanto do povo dos EUA em relação às guerras em que seu país tem se envolvido.

Visualiza-se uma tendência pacifista benéfica para o planeta inteiro.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *