Punida por ter sido estuprada.

Parece incrível, mas foi o que aconteceu na Arábia Saudita.

Em 2006, dois indivíduos penetraram à força num carro onde uma moçs xiita de 19 anos viajava com um amigo.

Eles a estupraram violentamente.

Processados, foram, neste ano de 2015, condenados a cinco anos de prisão.

Pouco pois, pelas severas leis locais, estupro pode dar até pena de morte.

Severidade muito maior foi reservada à vítima que acabou também sendo punida.

Os juízes consideraram que ao viajar num carro com homem que não pertencia à sua família ela cometera o crime de indecência. E a sentenciaram a 6 meses de prisão, além de 90 chicotadas.

Inconformada, a moça recorreu ao tribunal superior.

Foi um erro…

Inicialmente o tribunal suspendeu o advogado Abdul Rahman al-Lahen do exercício da advocacia.

Como ele se atrevera a questionar a aplicação de uma lei ancorada em princípios morais dos mais sólidos?

O pior sobrou para a vítima.

Indignados por ela ter revelado a bizarra sentença à imprensa, os juízes mais que dobraram o número de chicotadas. Agora ela terá de suportar 200.

Ainda neste mês, a justiça saudita promoveu a aplicação da pena de degola a três cidadãos condenados por contrabando de drogas.

Com isso, são 43 degolados em 2015.

Provavelmente neste ano serão superados os 87 de 2014.

O ISIS não está sozinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *