Primavera Árabe bombando na Jordânia.

A Primavera Árabe chegou na Jordânia em janeiro de 2011.

Depois de várias manifestações de rua, o rei Abdula, em junho desse ano, acalmou os ânimos, prometendo reformas, inclusive eleições do governo pelo povo num futuro próximo.

Futuro que ainda não chegou.

A única reforma realizada foi o aumento do número de lugares no Parlamento reservado a partidos políticos de 17para 27, num corpo de 120 representantes.

O Primeiro Ministro continuou sendo escolhido pelo rei, assim como todo o ministério, alem dos senadores.

Em 5 de outubro, a Irmandade Muçulmana promoveu um novo protesto, com a presença de 15 mil pessoas, numa das maiores manifestações da Primavera Árabe na Jordânia.

Carregando cartazes com frases que diziam “Os corruptos são inimigos de Deus” e “Por quanto tempo o regime protegerá autoridades corruptas?”, a multidão exigiu leis eleitorais democráticas, reformas constitucionais, parlamentarismo, independência do judiciário e fim da interferência dos serviços de segurança na vida política.

A demonstração pedia também a prometida eleição do primeiro ministro pelo povo e o fim da discriminação política contra os jordanianos de origem palestina, que constituem parte importante da população do reino.

Por enquanto, o rei Abdula limitou-se anunciar novas eleições neste ano, sem data marcada.

E a pedir paciência.

E tempo, afinal ele está no poder a apenas 13 anos…

2 pensou em “Primavera Árabe bombando na Jordânia.

  1. Olá, estou fazendo um trabalho sobre a Primavera Árabe e gostei das informações apresentadas aqui, você poderia mostrar as referências em que se baseou para elaborar esse texto?

  2. Pingback: SITUAÇÃO ATUAL DOS PAÍSES QUE PARTICIPARAM DA PRIMAVERA ÁRABE | História em Movimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *