De perseguidos a perseguidores.

O Haaretz, jornal liberal israelense, informou que mais de mil sudaneses foram deportados por Israel.

Segundo Telaviv isso aconteceu “voluntariamente”.

Trata-se de uma cínica mentira: pelas leis do Sudão (inimigo de Israel), o cidadão do país que viaja ou vivia em Israel comete crime passível de condenação a prisão por longo termo.

Os refugiados sudaneses não iriam “voluntariamente” enfiar-se na boca do lobo…

Lembro quando judeus fugitivos da Alemanha nazista tentavam entrar em outros países, onde eram presos e reconduzidos para a Alemanha e a morte.

Parece que Netanyahu está repetindo os nazistas.

Como também na sua justificação da campanha de expulsão dos africanos do país.

Ele disse, na melhor tradição dos princípios de pureza racial do hitlerismo:”a onda de imigrantes ameaça o caráter judaico e democrático do estado de Israel.”

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *