Na devastação do Iêmen, as principais vítimas são as crianças.

Quando, em setembro de 2015, o ex-presidente Hadi fugiu  dos houthis, que o haviam deposto e mantido preso no seu palácio, deixou um país pouco diferente do que assumira em 2012.

Continuar lendo