O Russia-gate começa a afundar.

No início da primava americana, Jennifer Palmieri, ex-diretora de comunicação da campanha Clinton, expôs a estratégia do Partido Democrata, ao Washington Post: “Se deixarmos claro que o que os russos fizeram (a suposta intervenção na eleição dos EUA) é nada mais do que um ataque contra nossa república, o público ficará do nosso lado. E, quanto mais nós falarmos no assunto, mais ele ficará conosco. ”

Continuar lendo

59 mísseis contra a paz.

Mesmo depois do secretário da Defesa, Rex Tillerson, ter, em 30 de março, declarado que afastar Assad não era mais prioridade dos EUA, deixando o futuro do líder sírio por conta do povo, oficiais americanos continuavam defendendo a queda do presidente.

Continuar lendo

2ª Guerra Fria e outras perspectivas sombrias.

A nomeação do general McMaster para o posto de Conselheiro de Segurança Nacional no lugar do general Michael Flynn marcou o fim da aproximação dos EUA com a Rússia.

Continuar lendo