Tratar sintomas não cura doenças.

Entre três e cinco de maio travaram-se combates em Gaza, que surpreenderam por sua altíssima intensidade, foram os m ais pesados desde a última invasão do reduto palestino, em 2014. Talvez mais importante foi seu significado: o Hamas se tornou um inimigo ainda mais mais temível.

Continue lendo

Vitória de Bibi põe mais lenha na fogueira.

Fortalecido pela vitória, Bibi Netanyahu deve radicalizar suas ações  nos três fronts de Israel: Palestina, Líbano e Irã.

Continue lendo

Parece que os israelenses não aprenderam com seus erros.

Em quase todo o mês de março, as pesquisas mostravam  no primeiro posto a coalisão Azul e Branco, de Benny Gantz, a esperança da oposição ao governo de direita, podendo eleger até 5 parlamentares a mais do que o principal concorrente.

Continue lendo