59 mísseis contra a paz.

Mesmo depois do secretário da Defesa, Rex Tillerson, ter, em 30 de março, declarado que afastar Assad não era mais prioridade dos EUA, deixando o futuro do líder sírio por conta do povo, oficiais americanos continuavam defendendo a queda do presidente.

Continuar lendo