Capelão militar americano se demite condenando os drones.

Os drones foram criados no governo Bush.

Mini- aviões de controle remoto dirigidos por operadores do exército ou da CIA em bases nos EUA, eles voam milhares de quilômetros indo explodir no seu objetivo. Teoricamente, é algum terrorista que ameaça a segurança dos EUA. Na prática, civis são também atingidos mortalmente.

Somente no Paquistão, por sinal aliado dos EUA, eles já mataram entre mil e duas mil pessoas inocentes, inclusive, crianças, mulheres e velhos.

E assim para proteger a vida do povo americano, o governo de Washington mata milhares de civis de outro país, que não ameaçam a segurança de ninguém

Desde que o mundo soube da existência dos drones, as ONGs de direitos humanos condenaram veementemente seu uso.

Quando Obama tomou posse na presidência dos EUA, muitas delas esperavam que ele cancelasse o programa de drones pelas mortes colaterais que causava.

Engano.

Obama quadruplicou o número de lançamentos e, nos anos seguintes, ampliou o mapa dos países contemplados com a visita mortífera desse engenho. A Somália, o Iêmen e o Afeganistão foram incluídos, ao lado do Paquistão.

Protestos choveram e continuam chovendo.

Talvez um dos mais significativos partiu de um ministro religioso, capelão das forças armadas.

Chris Antal escreveu uma carta ao presidente Obama, informando sua resignação ao posto de capelão militar em protesto ao uso de drones pelos EUA.

Na carta, ele condenou o Executivo por se atribuir “o direito de matar qualquer pessoa, em qualquer lugar da terra, em qualquer momento, por razões secretas, baseado em evidências secretas, em um processo secreto, executado por oficiais não identificados. ”

Antal também censurou o governo por continuar “a investir bilhões de dólares em armas nucleares, que ameaçam a existência da humanidade e do mundo. ”

Não foi a primeira vez que ele ergueu sua voz em defesa da justiça.

Em 2012, ele serviu 8 anos no front do Afeganistão.

Mas, logo na sexta semana, fez um sermão explosivo contra os drones na base aérea de Kandahar.

Abaixo, transcrevo partes desse sermão.

“Deus misericordioso, nós confessamos que temos pecado contra vós. Nós fizemos da guerra uma diversão, desfrutando camarotes no carnaval da morte, consumindo a violência, transformando a tragédia em jogos, criando nossas crianças para matar sem remorsos.

Nós esterilizamos a morte e toleramos assassinatos extrajudiciais: morte por controle remoto, fizemos a guerra ser fácil, nos protegendo do seu custo humano.

Nós nos enganamos, dizendo `os americanos não matam civis, são os terroristas que fazem isso, ´ negando a colossal miséria que nossas guerras infringem aos inocentes. “

Depois destas palavras, atacando um programa de guerra diante de uma audiência militar, Antal foi severamente censurado e advertido para não repetir a ousadia.

Foi o que ele fez até alguns dias atrás quando se retirou do serviço militar, com uma carta ao presidente Obama, reafirmando sua crença na desgraça maior causada pelos implacáveis drones.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *